fbpx

FatosOnline.com

Fatos e fatos a cada instante.

Lula inaugura o campus Paulista do Instituto Federal de Pernambuco

Instalações definitivas serão entregues oficialmente nesta quarta-feira, 7/6. Obras foram finalizadas em fevereiro e estrutura já atende 1.125 alunos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva acompanhou nesta quarta-feira (7/6) a cerimônia de inauguração do campus Paulista do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE), na Região Metropolitana de Recife (PE).

A unidade de ensino profissional e tecnológico de Paulista teve início em 2014, no governo Dilma, e integra um conjunto de institutos federais criados nos governos Lula e Dilma entre 2003 e 2015 como política pública de valorização da educação, inclusão e descentralização das unidades de ensino.

As obras, que demandaram R$ 12 milhões, foram totalmente concluídas em fevereiro deste ano, 11 meses depois da volta das aulas presenciais, após ensino a distância no período de pandemia.  Ainda neste mês de junho, o MEC está liberando R$ 375 mil ao campus Paulista para aquisição de mobiliário e equipamentos.

Com área total de 6,4 mil metros quadrados, o campus conta com bloco administrativo, biblioteca, auditório, 16 salas de aula, 12 laboratórios, área de convivência, 46 docentes, 30 técnicos-administrativos em educação e 1.125 estudantes matriculados em diferentes cursos.

“Poder inaugurar a sede definitiva do Campus Paulista do IFPE é motivo de grande alegria para nossa instituição. É uma estrutura moderna e bem equipada, que dá à nossa comunidade acadêmica condições adequadas para o desenvolvimento da educação, da ciência e da tecnologia, que é a função dos institutos federais”, disse José Carlos de Sá, reitor do Instituto Federal de Pernambuco.

Com foco nos eixos tecnológicos Informação e Comunicação e Gestão e Negócios, o IF Paulista funcionou em instalações provisórias de 2015 até meados de 2020, quando houve o início da transição para a sede definitiva, em que já ocorrem aulas há cinco meses.

VOCAÇÃO REGIONAL – Numa perspectiva que considera potencialidades e vocações regionais para o desenvolvimento socioeconômico, os institutos federais atrelam suas ações de ensino, pesquisa e extensão às vocações dos territórios onde estão instalados.

O IFPE promove ações junto aos povos do campo. No campus Paulista, estudantes vão interagir com comunidades camponesas de todo o estado nos estágios de vivência que serão realizados nas férias de 2023.

A instituição também faz busca ativa nos territórios campesinos (Mata do Ronca) a fim de potencializar o ingresso dessas pessoas na escola. O campus participará, no segundo semestre, da oferta de cursos de informática direcionados a pescadores, indígenas, quilombolas, assentados e agricultores familiares.

TRANSIÇÃO – Em todo o país, há 680 unidades de ensino profissional e tecnológico. Dessas, 214 foram criadas nos governos do presidente Lula e 208 unidades na gestão Dilma Rousseff. A unidade Paulista do IFPE, que o presidente visita hoje, fez a primeira seleção no fim de 2014 e iniciou as aulas em 2015.

No mesmo período em que houve expansão das universidades federais, com inauguração de novas unidades e ampliação das existentes, os institutos federais foram criados para implantar o ensino médio integrado à educação profissional, além da oferta de licenciaturas, cursos superiores de tecnologia e bacharelados tecnológicos. 

RECONSTRUÇÃO – O IFPE tem 16 campi distribuídos do litoral ao sertão e 10 polos de ensino a distância. São quase 30 mil estudantes e 328 cursos. Em 2023, o orçamento previsto era de R$ 65,1 milhões, dos quais R$ 16,2 milhões destinados à assistência estudantil. Após a recomposição feita pelo governo Lula, o orçamento do IFPE recebeu mais R$ 11,7 milhões, saindo de R$ 65,1 para R$ 76,9 milhões, dos quais R$ 17,6 milhões de assistência estudantil.

“Investir nos institutos federais é o caminho para a reconstrução do País, com equidade e inclusão da juventude no processo produtivo e no mundo do trabalho”, resumiu Getúlio Marques Ferreira, secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC.

Sobre o Autor

Compartilhe este Fato: