fbpx

FatosOnline.com

Fatos e fatos a cada instante.

Vice-governadora de SC, Marilisa Boehm (PL)

MORDOMIAS DA VICE – R$ 240 mil gastos com residência oficial e cartão corporativo em 3 meses

Reportagem do Congresso em Foco deste final de semana traz detalhes sobre gastos na residência oficial e no seu cartão corporativo da vice-governadora de SC, Marilisa Boehm (PL)

Mais uma vez os gastos em mordomias da vice-governadora de Santa Catarina, Marilisa Boehm (PL) chamam a atenção da opinião pública. Depois da divulgação dos gastos com funcionários, como por exemplo o custo de R$ 21 mil para a contratação de um único cozinheiro, ter chamado a atenção da mídia no início da semana passada, neste final de semana o Congresso em Foco divulga mais uma matéria com novos gastos para bancar as mordomias da vice.

Segundo a reportagem, nos primeiros três meses de 2023, foram gastos R$ 199.627,52 na manutenção da residência da vice-governadora e mais R$ 39.971,59 com cartão corporativo.

Veja abaixo a reportagem completa do Congresso em Foco (Uol), assinada pelo jornalista Caio Matos:

De acordo com o Portal da Transparência do Estado, nos primeiros três meses de 2023, foram gastos R$ 199.627,52 na manutenção da residência da vice-governadora. E, com cartão corporativo, Marilisa gastou R$ 39.971,59 em três meses

Os dados foram atualizados até o dia 15 de abril e confirmados pelo Congresso em Foco. Para efeitos de comparação, a antecessora de Marilisa, a atual deputada federal Daniela Reinehr (PL), gastou R$ 150 mil nos 12 meses de 2022 em que ocupou a residência oficial de vice-governadora ao longo do ano. Em 2019, primeiro ano como vice, o gasto ficou em R$ 99,7 mil.

Nas despesas da residência oficial de Marilisia estão gastos com alimentação e outros serviços. Em média, o custo mensal com a manutenção da residência durante o mandato de Marilisia está em R$ 61 mil, quase o dobro dos R$ 35 mil que eram gastos pela ex-vice-governadora. Juntamente com o Maranhão, Santa Catarina é o único estado que possui uma residência oficial para o vice-governador.

Procurada pela reportagem, a assessoria de Marilisia alegou que o imóvel não havia passado por manutenção adequada na gestão anterior e que, por isso, estava demandando maiores despesas neste início de mandato.

“Os valores que estão no Portal da Transparência dizem respeito à manutenção do imóvel, que é patrimônio do Estado, que precisa ser preservado. Na gestão anterior o imóvel não teve a manutenção adequada. Consequentemente, no início de 2023 a residência apresentava uma série de problemas que necessitavam ser resolvidos para evitar maior deterioração e prejuízos futuros. Em função disso, o atual gabinete da vice-governança fez os investimentos necessários de manutenção sempre respeitando a média histórica de despesas ao longo dos anos nas gestões passadas”, respondeu a assessoria da vice-governadora.

Contratação de funcionários

No início da semana, a contratação emergencial de funcionários para atuar na residência oficial chamou a atenção da mídia. A equipe contratada seria composta por dois cozinheiros, dois serventes e um zelador, com salários mensais variando entre R$ 10 mil e R$ 21 mil.

Em nota, a assessoria da vice-governadora afirmou que o valor do salário se referia ao custo do posto de trabalho, contemplando custos de natureza previdenciária, fiscal, trabalhista e demais encargos, além dos honorários dos prestadores de serviço.

Segundo a assessoria, o novo contrato emergencial válido por 180 dias se fez necessário pois a empresa anterior não estava cumprindo com o pagamento dos funcionários. “Este novo contrato resultou em uma economia de 29,5% para os cofres públicos, pois houve uma diminuição de 10 postos de serviço para 05 postos de serviço, totalizando uma redução de custos no montante de R$ 151.685,76 para o período de contratação”, afirmou a assessoria.

Fonte: Congresso em Foco

Sobre o Autor

Compartilhe este Fato: