fbpx

FatosOnline.com

Fatos e fatos a cada instante.

Jornalista Schirlei Alves

PT e Associação de Imprensa de SC manifestam solidariedade à jornalista Schirlei Alves

Profissional foi condenada pelo conteúdo de reportagem do site Intercept Brasil sobre o julgamento de uma acusação de estupro contra a influencer Mariana Ferrer

O exercício da liberdade de expressão não pode ultrapassar o direito à honra da vítima em razão da divulgação de notícias falsas ou fora do contexto da realidade. Com esse entendimento, a 5ª Vara Criminal de Florianópolis condenou a jornalista Schirlei Alves ao total de um ano de prisão em regime aberto e ao pagamento de R$ 400 mil em indenizações, devido ao conteúdo de reportagens do site Intercept Brasil sobre o julgamento de uma acusação de estupro contra a influencer Mariana Ferrer.

Schirlei era alvo de duas queixas-crime: uma do juiz Rudson Marcos e outra do promotor Thiago Carriço, que atuaram no caso. Em cada uma das sentenças, a juíza Andrea Cristina Rodrigues Studer fixou pena de seis meses de detenção, 20 dias-multa no valor de 1/30 do salário mínimo vigente à época dos fatos e indenização de R$ 200 mil ao ofendido.

Nota de Solidariedade do PT

Manifestamos total indignação com a absurda decisão de julgamento da 5ª Vara Criminal de Florianópolis, que condenou o jornalista Schirlei Alves a um ano de prisão em regime aberto e ao pagamento de R$ 400 mil em indenizações. A pena ocorreu devido ao conteúdo de reportagem do site Intercept Brasil sobre o julgamento de uma acusação de estupro contra a influenciada Mariana Ferrer.

A publicação mostrou vídeo de Mariana sendo humilhada pelo advogado do acusado, sem que ele tivesse sorteado uma eventual ocorrência do juiz, do Ministério Público e de seu próprio defensor, gerando uma avalanche de discursões sobre a legalidade do julgamento e atraindo a atenção para o flagrante tratamento misógino e estrutural como a qualidade da vítima foi tratada.

A pena que a Justiça imputou ao jornalista é desproporcional e típica de tempos estranhos. Não vamos aceitar esta arbitrariedade. Não vamos deixar que Santa Catarina fortaleça a triste imagem de um estado de exceção, que cala jornalistas e proíbe livros nas escolas.

Solidariedade e justiça à Schirlei Alves!

Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina

NOTA DE REPÚDIO

A Associação Catarinense de Imprensa (ACI) – Casa do Jornalista manifesta sua indignação e revolta com a decisão judicial, assinada pela juíza Andrea Cristina Rodrigues Studer, da 5ª Vara Criminal de Florianópolis, que condenou à prisão e pagamento de indenização a jornalista Schirlei Alves por crime de calúnia e difamação.

O “crime” da jornalista: revelar ao País a humilhação a que foi submetida a jovem Mariana Ferrer, por parte do advogado de defesa do homem a quem acusou de estupro, sem que o advogado tenha sido impedido pelo juiz de seguir com as graves ofensas proferidas na audiência.

A situação foi registrada em vídeo e serviu como prova para a punição (muito mais branda) do juiz, esta semana.

A reportagem, que provocou grande repercussão em todo o Brasil, foi veiculada pelo Intercept Brasil, que usou a expressão “estupro culposo” para explicar de forma simplificada ao público leigo as razões pelas quais o Ministério Público rejeitou a acusação de estupro.

Pela repercussão, Schirlei vem sendo perseguida desde então, com perdas profissionais e pessoais.

A Associação Catarinense de Imprensa se solidariza com a repórter e informa que colocou sua estrutura e rede de apoio para buscar reverter a decisão judicial que fere gravemente a liberdade de imprensa.

Diretoria da Associação Catarinense de Imprensa

Sobre o Autor

Compartilhe este Fato: