fbpx

FatosOnline.com

Fatos e fatos a cada instante.

Santa Catarina tem saldo positivo de 2,2 mil empregos formais em julho de 2023

No ano, são 63,6 mil novos postos com carteira assinada no estado. Estoque total de empregos formais em Santa Catarina chega a 2,4 milhões

O estado de Santa Catarina teve um saldo positivo de 2.220 postos de empregos formais preenchidos em julho. O número é resultado de 116,6 mil admissões e 114,4 mil desligamentos nos 31 dias do mês. Os dados são do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) e foram divulgados nesta quarta-feira, 30/8, pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Desde o início do ano, o saldo de empregos formais em Santa Catarina totaliza 63.660 vagas com carteira assinada. Levando em conta os últimos 12 meses, o estado teve a segunda maior variação relativa da região, com 2,63%.

Em julho, o estado teve desempenho positivo em três grandes grupamentos avaliados. O principal destaque foi para o setor de Serviços, com saldo de 1.759 vagas geradas no mês, que levam o estoque do setor para 950,8 mil empregos formais no estado. Na sequência aparecem a Construção (saldo de 1.118 vagas) e o Comércio (952).

Os três municípios com maior saldo de empregos formais no período em Santa Catarina são São José (+512), Itajaí (+498) e Palhoça (+285).

NACIONAL — Os dados do Novo Caged de julho mostram que o emprego formal no país apresentou saldo positivo de 142,7 mil postos de trabalho no mês. O saldo foi puxado pelo setor de Serviços, que gerou 56,3 mil postos (39% do saldo) e Comércio com 26.744 postos (19% do saldo). No acumulado do ano, são 1,16 milhão de postos de trabalho, saldo positivo nos cinco grupos econômicos e em 26 das 27 unidades da Federação.

ESTOQUE — O país chegou a um total de 43,6 milhões de empregos formais em julho, o maior número já registrado na série histórica levando em conta tanto o período do Caged (junho de 2002 a 2019) quanto do Novo Caged (a partir de 2020). As informações mostram ainda que o salário médio real de admissão em julho foi de R$ 2.032,56, um aumento de R$ 19,33 em comparação com o valor de junho, que foi de R$ 2.013,23.

REGIÕES — As cinco regiões apresentaram saldo positivo na geração de novas vagas de empregos formais em julho. O Sudeste criou praticamente metade de todos os 142,7 mil postos do mês. Somados, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo abriram 70,2 mil novas vagas. São Paulo foi o estado com maior saldo no Brasil: 43,33 mil.

Em seguida aparece o Nordeste. Os nove estados somados geraram 32 mil novos postos. O Ceará, com 6.490, é o representante nordestino que mais abriu vagas em julho. No Centro-Oeste, são 18,3 mil empregos formais gerados, com destaque para as 6.214 vagas de saldo em Mato Grosso. Na sequência, aparece a Região Norte, com 14,7 mil e protagonismo do Pará (6.938). A Região Sul fecha a lista, com 7,2 mil de saldo em julho, a maior parte deles no Paraná: 7.184.

SETORES – No mês de julho, todos os grupamentos de atividades econômicas registraram saldos positivos. O saldo de 56.303 postos formais no setor de serviço foi maior nas áreas de Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (27.218 postos); Alojamento e alimentação (9.432 postos); e Transporte, armazenagem e correio (8.904 empregos) no mês.

No Comércio, o destaque foi o setor varejista de produtos farmacêuticos (+3.554) e mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios – supermercados (+2.419) e minimercados (+1.704). A Construção Civil teve saldo positivo de 25.423 postos e a Indústria, de +21.254 postos no mês.

GRUPOS POPULACIONAIS – Entre os grupos populacionais, houve crescimento de 43.947 postos para mulheres e 98.755 para os homens. No que se refere à População com Deficiência, identificou-se saldo positivo de 452 postos de trabalho. O emprego em julho foi positivo para pardos (+75.918), brancos (+15.919), pretos (+13.035), amarelos (+720) e indígenas (+311).

Sobre o Autor

Compartilhe este Fato: